Gibis estimulam alunos de Cmei a tomar gosto pela leitura

Entre os exemplos de aplicação, estão a análise de textos e ampliação do vocabulário. Com isso, o jovem leitor passa a se familiarizar com os momentos decisivos.

Gibitecas foram instaladas nos Centros Municipais de Educação Infantil

Já foi o tempo em que as revistas em quadrinhos eram proibidas em sala de aula. Agora, os gibis ganharam significado pedagógico e são uma excelente opção para incentivar a leitura entre aqueles que estão entrando no mundo das letras. A começar pelos personagens que, por si só, são atraentes para a garotada.

Assim, os alunos e professores dos 49 Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis) comemoram a chegada das “Gibitecas Turma da Mônica”, recentemente adquiridas pela Secretaria Municipal de Educação (Seme).

“As histórias em quadrinhos ou gibis são revistas que unem o texto à imagem, criando uma sequência de quadros que acompanham o desenvolvimento do texto. Podem ser utilizadas como um dos recursos para a aquisição da linguagem escrita e da leitura nas crianças atendidas na educação infantil, constituindo-se em vivências prazerosas no desenvolvimento curricular”, disse a secretária municipal de Educação, Adriana Sperandio.

Aprender brincando

“Além de incentivar o hábito da leitura, a união da linguagem gráfica com a escrita ainda ajuda na assimilação de temas diversos, aumentando a capacidade de análise, interpretação e reflexão das crianças”, argumentou a gerente de Educação Infantil da Seme, Ana Paula Holzmeister.

Entre os exemplos de aplicação, estão a análise de textos e ampliação do vocabulário. Com isso, o jovem leitor passa a se familiarizar com os momentos decisivos e personagens que marcaram a história do Brasil e, ainda, recebe informações sobre meio ambiente, mudanças de paisagens e clima.

Literarte

O Cmei Valdívia da Penha Antunes Rodrigues, que fica em Santos Dumont, possui o projeto de leitura “Literarte – Literatura e Arte em Toda Parte” e comemora a chegada da Gibiteca. “O formato favorece a interação e a autonomia entre as crianças, uma vez que elas têm livre acesso à estante”, disse a diretora do Cmei, Patrícia Massaria Loureiro.

Ela completou: “O desafio é garantir às crianças uma aprendizagem significativa, realmente voltada para o desenvolvimento do pensamento crítico e criativo. O objetivo do nosso projeto é fazer com que a leitura seja fonte de descobertas, desperte emoções, estimule a criatividade e incentive a criticidade, com vistas à construção da identidade”.

Gibiteca Turma da Mônica
A série “Saiba mais com a Turma da Mônica” nasceu da intenção de levar educação e cidadania ao ambiente escolar, por meio da leitura descontraída encontrada nas histórias em quadrinhos. A partir dessa proposta, o projeto pretende estimular o aprendizado e o conhecimento dos temas fundamentais, objetivando formação de qualidade e apropriação da informação com o auxílio da linguagem inovadora presente nas histórias em quadrinhos.

Fonte: http://www.folhavitoria.com.br/geral/noticia/2015/03/gibis-estimulam-alunos-de-cmei-a-tomar-gosto-pela-leitura.html

Anúncios

Quadrinhos brasileiros ganham destaque no Salão do Livro de Paris.

Entre os 48 autores brasileiros convidados para o Salão do Livro de Paris, há vários quadrinistas e roteiristas de HQ, que participam de debates com o público sobre o gênero no Brasil. A França é o segundo maior consumidor de quadrinhos do mundo, depois do Japão, um mercado que vem se abrindo e se interessando pelo Brasil.

 Alguns dos álbuns de HQ do Brasil em destaque no Salão do Livro de Paris.

Os irmãos gêmeos Fabio Moon e Gabriel Bá, com vários livros editados na França, estão lançando Deux Frères, Dois Irmãos, baseado no romance de Milton Hatoum. Eles contam a história dos também gêmeos Omar e Yaqub, que se odeiam, descendentes de libaneses em Manaus. “Uma oposição elevada à nona potência, que não é o nosso caso, mas que funcionou como um desafio”, diz Fábio.

“Foram quatro anos de trabalho – dois para o roteiro e o restante para o desenho”, conta Gabriel. “A fase do desenho é quando o projeto realmente toma forma”, acrescenta. O livro foi feito sem restrição de tamanho, traduzindo a tendência de o mercado aceitar as propostas de histórias mais longas e mais elaboradas. “São essas histórias que vão para as livrarias, que atingem o público leitor de livros”, completa Fábio.

Crônicas desenhadas

“Mes chers samedis” é a tradução de “Sábados dos meus amores”, de Marcello Quintanilha, que escreve e desenha. Crônicas em movimento, “reflexo do que eu vivi, do que me fez como ser humano”, explica o autor, de Niterói, que vive desde 2002 em Barcelona. Sobre seu processo de criação, ele explica que desenho e palavras “chegam junto, porque são elementos de uma mesma engrenagem”.

Já o clima noir de “Copacabana” conta a história nua e crua de uma prostituta na mais famosa praia do planeta. O roteirista, editor e tradutor Lobo revela que a ideia surgiu de uma noite que quase terminou mal. “Eu saí de uma festa bêbado e desci do ônibus no ponto errado; percebi que ia ser assaltado e resolvi pedir ajuda a um travesti, um gigante de salto alto.”

Livre do apuro e amigo do travesti, Lobo foi se interessando pela vida do bairro e percebeu o potencial para uma história em quadrinhos. “E hoje estou em Paris com o álbum; nunca imaginei que chegaria até aqui, é uma honra”.

Por: Patricia Moribe

Fonte: http://www.portugues.rfi.fr/

Evento: 3ª Jornadas Internacionais de Histórias em Quadrinhos – USP

Já estão abertas as inscrições para as 3ª Jornadas Internacionais de Histórias em Quadrinhos, congresso científico que será realizado entre 18 e 21 de agosto deste ano na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo.
Logo
O prazo final para envio de resumos é 13 de abril.
As Jornadas Internacionais de Histórias em Quadrinhos têm como principal proposta servir de ponto focal para as pesquisas sobre histórias em quadrinhos produzidas em diferentes regiões do país e também no exterior. O congresso acadêmico, ao mesmo tempo em que dá visibilidade a tais estudos, contribui para promover um intercâmbio de conhecimento entre os temas abordados e seus respectivos autores. A primeira edição do encontro científico foi realizada entre 23 e 26 de agosto de 2011 na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. A segunda edição ocorreu entre 20 e 23 de agosto de 2013, na mesma universidade.
As inscrições podem ser feitas por meio do site do congresso, que também traz outros detalhes sobre o encontro científico:

Dica de Leitura: Revolução do Gibi: A Nova cara dos Quadrinhos no Brasil

Resumo

Uma coletânea de publicações do jornalista e autor Paulo Ramos, que tem como objetivo explicar as raízes do atual momento do mercado brasileiro de quadrinhos, descrevendo e analisando toda essa última década de transições do gênero no Brasil.

Livro lançado pelo jornalista, professor e pesquisador Paulo Ramos em  2012, a Revolução do Gibi trata-se de um livro jornalístico que traça um panorama sobre lançamentos, publicações relacionadas as Histórias em Quadrinhos no Brasil na última década.

De uma forma clara e didática Paulo Ramos utiliza muito bem as 500 páginas divididas em 20 capítulos para explorar momentos importantes do mercado nacional das Histórias em Quadrinhos como por exemplo: a entrada dos quadrinhos na lista do PNBE, os Quadrinhos virtuais, o circuito independente, entre outros.

O livro é muito indicado para pesquisadores, professores e leitores de HQs que buscam conhecer como o mercado os quadrinhos se desenvolveram na década passada.

Conheça o Blog dos Quadrinhos de Paulo Ramos.