Arquivo da tag: Curitiba

Exposição conta história dos quadrinhos curitibanos através de seus personagens

A cronologia das histórias em quadrinhos da cidade por meio de seus personagens está na exposição “Fabulosa Galeria de Personagens dos Quadrinhos de Curitiba”, que abre nesta sexta-feira (4), às 19h, na Sala Lápis do Museu da Gravura, no Solar do Barão. Com curadoria de Fulvio Pacheco, a mostra em formato de álbum de figurinhas tem entrada gratuita e fica em cartaz até o dia 1º de maio.Exposição quadrinhos curitibanos - Loira Fantasma

A galeria inicia com o Chico Fumaça de 1926 de autoria de Alceu Chichorro, passando por personagens como o Homem Relâmpago, do Poty Lazarotto; Maria Erótica, de Claudio Seto; Smilinguido, da Marcia D´Haese; Marcozinho, do Tako X; Loira Fantasma, do Fulvio Pacheco; Curitibinha, do Marcos Vaz; Amely, da Pryscila Vieira; Barão do Serro Azul, do Marcelo Lopez; Malu, do José Aguiar e vários outros, totalizando 65 personagens.De acordo com Pacheco, a exposição pretende mostrar que existe uma cronologia de quadrinhos consistente em Curitiba e de considerável volume. ”

A tradição da cidade quanto aos quadrinhos é conhecida em todo país, com méritos como a Grafipar, editora responsável pela maior produção de quadrinhos vista fora do eixo Rio-São Paulo, a primeira Gibiteca do Brasil e a Gibicon”, lembra Pacheco.Exposição quadrinhos curitibanos - O Gralha

A ideia do álbum surgiu com a Monografia “A História da Gibiteca e dos Quadrinhos
em Curitiba” editada em 2006 por Fulvio como trabalho de conclusão de curso da Faculdade de Artes do Paraná. O artigo está à disposição para consulta na Gibiteca de Curitiba.

Serviço:
Exposição “Fabulosa Galeria de Personagens dos Quadrinhos de Curitiba”
Local: Sala Lápis, Museu da Gravura da Cidade de Curitiba – Solar do Barão
Data e horário: Abertura dia 4 de março de 2016 (sexta-feira), às 19h. Visitação: 5 de março a 1º de maio, das 9h às 12h e 14h às 18h (terça a sexta-feira) e das 12h às 18h (sábado e domingo)
Entrada gratuita

Fonte: Paraná Online

José Aguiar lança webcomic sobre a infância no Brasil

InfanciaBrasil
O quadrinhista José Aguiar estreará um novo projeto que contará a jornada pelas diferentes formas de ser criança através de cinco séculos de História do Brasil.
Trata-se de uma webcomic chamada A infância do Brasil, em que o autor lança seu olhar sobre o passado, para refletir sobre nosso presente. Por meio de uma história em quadrinhos, dividida em seis capítulos, ele leva o leitor a uma viagem pela História do Brasil para descobrir o passado da fase de maior importância na vida de todos: a infância.
00169227
Aqui, ela é retratada por intermédio de momentos pontuais na vida de crianças brasileiras durante os mais de 500 anos, desde o início da colonização do País até os dias atuais. Propõe uma viagem reflexiva sobre a história de um país ainda em processo de amadurecimento, sob a perspectiva humana.
A história poderá ser lida em uma versão comentada. O site apresentará ainda material extra, como textos sobre o contexto histórico que cada capítulo aborda, além de estudos e depoimentos do autor sobre seu processo de criação.
“O formato digital oferece formas de interatividade que seriam difíceis de agregar à história em outro suporte. Por meio deles, posso partilhar mais informação do que aquela visível na primeira leitura da obra. O leitor pode ter acesso às pesquisas, fontes bibliográficas, enfim, ao mundo em que mergulhei para criar essa grande saga sobre a infância”, explica Aguiar.

Dica de Leitura: Bocas Malditas – Curitiba e suas Histórias de Gelar o Sangue.

Existe uma forma melhor de conhecer uma cidade do que conhecendo sua história?

zb

Mas não estou falando aqui das histórias oficiais documentadas nos livros, mas sim aquelas que ouvimos desde de crianças, que nossos pais e avós nos contavam, ou até mesmo as que nosso irmão mais velho contava para nos assustar.

As Histórias, assim como as pessoas, atribuem caraterísticas de um bairro ou uma comunidade. Quem nunca ouviu uma história de aconteceu naquela localidade “há muito tempo atrás”.

É disso que se trata o álbum Bocas Malditas: Curitiba e suas Histórias de Gelar o Sangue do Dogzilla Studio.

2

O álbum teve como base o projeto ” Notas e lendas Urbanas” de Fúlvio Pacheco foi lançado em 2014 e traz 26 histórias divida entre 30 artistas, além dos editores Antônio Eder, Walkir Fernandez e Carol Sakura, que colocam sua personalidade nos traços e roteiros das histórias, as deixando mais interessantes e menos cansativa a leitura (estamos falando de 180 páginas), em histórias como ” A loira Fantasma”, “A vaca Cherrie”, “A grávida da praça da Ucrânia” , “Tindiquera” e a “Noiva de Preto”.

z

Ler Bocas Malditas é como um passeio pela cidade, pois cada ponto turístico, bairro, ou monumento tem uma história para contar, mas na maioria das vezes estamos muito ocupados com outras coisas e não prestamos muita atenção.

Evento: II Simpósio de Histórias em Quadrinhos

Aconteceu no último dia 14 de agosto na Pontifícia Universidade Católica do Paraná o II Simpósio de Histórias em Quadrinhos, uma parceria do Projeto HqE! e TECPUC.

Este ano o tema os convidados foram Antônio Eder e Walkir Fernandes, da Dogzilla Studio, o quadrinista José Aguiar e André Caliman, que falaram um pouco de suas experiências e suas atividades voltadas para a área de Histórias em Quadrinhos.

Além das palestras os convidados fizeram uma manhã de autógrafos para os alunos.

14190_571641059625003_4040384905346781749_n 995605_10203905652097400_6500734697217869984_n 997012_676970249056406_4527589433350282507_n 1453218_10203905735099475_6063096522144271068_n 1504098_676970362389728_7430171523572047666_n 1544459_553767224749897_1963982853956244186_n 1551668_10203905296208503_4149384260227460090_n 1920534_676969829056448_8822181055303431941_n 10013617_676970145723083_7486911340070504493_n 10368245_682621915157463_7285461472340990050_n 10392590_676970325723065_3257068865230854263_n 10402538_10203905233326931_3623524318797818335_n 10406874_553767238083229_4313054352007307164_n 10426139_884637938230243_8693252841886110871_n 10486468_676970179056413_7319473525936316821_n 10487604_682622011824120_5943812214043271192_n 10516715_682621715157483_6682194482696986534_n 10537013_884637748230262_1777097720074154935_n 10547407_884693308224706_1898295449427823511_n 10553636_884719181555452_3978380290882410879_n 10556284_682621795157475_1709332809402521818_n 10556312_884720358222001_5842758141357302790_n 10565248_682621755157479_3721228264815274793_n 10568798_676969789056452_7621753029688442289_n 10606583_10203905412411408_2580552918943440355_n 10609627_884637718230265_8625163712387067120_n 10609690_676969752389789_3499765072294967799_n 10616528_884637881563582_3677722911629706628_n 10616648_682621981824123_4002656918567882844_n 10616722_676970112389753_4581967561900793910_n

Fotos de: José Aguiar, Walkir Fernandes, Victória Bittencourt e Carol Sakura.

Revista Macaco Albino número #1.

Saiu esta semana a primeira edição da revista produzida pelos alunos do Tecpuc de forma totalmente independente.

Imagem

O conteúdo da revista é variado, possui Contos, Ilustrações, tirinhas e histórias em quadrinhos.

Participaram desta edição:
Leonardo Higashi
Lucas Estevão 
Isabela Caldeira
Vany Yamao
Bruna Szotka
João Basso
Lucas Adamo
Ricardo Zen

Professores do TECPUC têm trabalho aprovado no Programa Apple Distinguished Educators

O Programa Apple Distinguished Educators é parte de uma comunidade global de líderes educadores reconhecidos por utilizar a tecnologia Apple de forma inovadora, dentro e fora dasala de aula. O objetivo do programa é reconhecer projetos inovadores que estejam contribuindo para a transformação significativa do processo de ensino e aprendizagem, a partir do uso da tecnologia Apple.

Por meio da junção de dois projetos, o Projeto HqE – Histórias em Quadrinhos na Escola e a utilização dos iPads em sala de aula, foi possível desenvolver o Projeto HqE – Gramática, Quadrinhos e Tecnologia. O primeiro Projeto foi concebido durante a pesquisa de iniciação científica de Márcio Garcia, estagiário de Pedagogia da PUCPR e idealizador do Projeto HqE, no curso de Pedagogia, e a parte prática surgiu após algumas aulas de substituições no TECPUC, onde ele pôde verificar a dificuldade dos alunos em realizar algumas atividades de interpretação de texto e de tiras de jornal. Quanto ao uso dos iPads, difundido pela professora de Português, Carla Viccini, a escolha foi feita para dinamizar o trabalho proposto aos alunos — criar tiras ou histórias em quadrinhos sobre verbos. Primeiramente, eles usaram os iPads para pesquisar sobre o tema, consultar a conjugação verbal e para assistir vídeos com dicas de quadrinistas profissionais. Depois, os alunos que não se sentiram seguros para desenhar, ou que queriam usar outras alternativas, puderam produzir seus trabalhos com aplicativos, usando fotos e desenhos. Essa ideia surgiu para dinamizar as aulas, torná-las mais interessantes, animar os alunos e, principalmente, para que eles aliassem a teoria com a prática, aproximando-se de situações reais de uso da língua da portuguesa. Para Márcio, “trabalhar uma atividade diferenciada (HQs e iPads) fez com que os alunos se tornassem protagonistas das atividades, já que todo o trabalho foi deles, desde a pesquisa até a produção das tiras dos quadrinhos, em conjunto com a pró-atividade e o trabalho em equipe”.

1

Após a utilização dos iPads nas salas de aulas, assim como as atividades de desenvolvimento das histórias em quadrinhos, os alunos puderam demonstrar criatividade, irreverência e cooperação com outros colegas. “A conquista nessa primeira fase nos surpreendeu muito. É realmente muito importante, pois além de indicar que estamos no caminho certo, aliando tecnologia e educação, nos motiva a criar e pesquisar novas alternativas para a sala de aula”, completa Carla.

Livro: FANZINES e as Práticas Educativas.

capadelivroof

Segue o link do nosso primeiro E-Book do Projeto HqE com o trabalho feito durante o ano de 2013 com os alunos do Ensino Médio Técnico do Colégio de Informática e Administração.
Venho aqui agradecer imensamente as professoras Géssica Peniche, Carla Viccini, Francielle Novak, Regina Corcini, à direção do colégio Professor Romeu Guimarães Machado Neto, aos coordenadores do Ensino Médio Élcio Miguel Prus, Cleusa Luz, Juliana Lobo as pedagogas Elis de Faveri e Karen Branco por acreditarem no projeto.

A minha paciente (e linda) esposa Gabriela Machado pela paciência.

A Professora Fabiane Lopes por me orientar e acreditar que seria possível unir Pedagogia com Histórias em Quadrinhos.


Aos parceiros José Aguiar, Fúlvio Pacheco, Maristela Garcia, Ademir Paixão, Reinaldo Seriacopi, Daniele Saheb e Fábio Moon e Giovana Tows pelas dicas e a disposição em nos ajudar, aos professores Paulo Ramos e Waldomiro Vergueiro pela inspiração. A todos os quadrinistas que se interessaram pelo projeto, mas que por falta de tempo hábil não podemos incluir no projeto deste ano.

E aos alunos, que fizeram um trabalho incrível!!!

Ano que vem tem mais…

Leia o livro aqui:http://www.youblisher.com/p/760853-Fanzines-e-as-Praticas-Educativas/

foto (3)22-09a

Na sexta feira dia 22/09 ministrei a palestra sobre “Quadrinhos e suas Múltiplas Linguagens” para os professores do Colégio Estadual Santos Dumont, falamos muito sobre os quadrinhos e como podemos utiliza-lo na escola, abordando todos os aspectos que compõe uma HQ.

image (7)22-09a image (9)22-09a image (11)22-09a

Agradeço aqui, a direção da escola pelo convite e o espaço aberto para conversar sobre Histórias em Quadrinhos.

Folheteen – Direto ao Ponto de José Aguiar.

Todos somos Malu.

Curitiba, 22 de agosto de 2013

Conheci pessoalmente José Aguiar na última terça em um evento que organizei para meus alunos do Ensino Médio, mas isso não quer dizer que eu conhecia a Malu, sua personagem da tira Folheteen. Em sua fala José me fez voltar a pensar na minha adolescência, minhas dúvidas, problemas e minhas frustrações e parei para pensar.

Minha adolescência não foi fácil (como a de todo mundo), eu também trabalhei em um supermercado (onde muitos anos depois conheci minha esposa), pulava de emprego em emprego, as meninas não queriam saber de mim, pegava o Inter 2 todos os dias lotado e as vezes não me entendia com meus pais.

Imagem

Mas foram essas situações que me tornaram o que sou hoje, sou estudante de Pedagogia, faço e pesquiso quadrinhos.

Imagem

Quando José falou sobre sua personagem, pensei: “Que bom que meus alunos estejam ouvindo tudo isto”. Muitos deles podem estar passando por todos esses problemas, e outros que pensam que por terem uma melhor condição social podem fazer tudo. (e precisavam levar um choque de realidade).

E todo esse debate veio por causa de uma História em Quadrinhos!

Hoje eu li “Folheteen – direto ao ponto”, mas não dentro do Inter 2 lotado, mas sim em um avião a caminho da USP para apresentar meu projeto em um congresso internacional de Histórias em Quadrinhos, quando pensei comigo: “Malu, sua danada! Por sua causa, em uma semana, fui da minha adolescência complicada à realização profissional”.

Se um dia eu pudesse encontrar a Malu no supermercado ou no ponto de ônibus, lhe daria um abraço apertado e diria: “Muito obrigado, por me fazer lembrar que tudo valeu à pena!”

Marcio Garcia

Estudante de Pedagogia

Coordenador do Projeto HqE! – Histórias em Quadrinhos na Escola.